10 Dicas para Empreender com Sucesso

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

Dicas para Empreender com SucessoEmpreender não é tarefa simples, mas também não é um bicho de sete cabeças. O mais importante é agir com objectividade e disciplina. Por essa razão, hoje temos 10 dicas para empreender com sucesso.

1. Pesquise profundamente as opções existentes em relação ao que pretende desenvolver

Quando alguém decide que deve mudar a sua forma de actuação no mercado, é comum privilegiar a “emoção” no momento de decidir qual negócio pretende desenvolver. É importante saber dosear com equilíbrio a “emoção” e a razão. Um bom negócio deverá reunir, evidentemente, a experiência, no entanto, não se pode abrir mão do adequado retorno económico-financeiro, o qual obrigatoriamente terá que contribuir para cobrir todos os custos e gastos da actividade, permitir um “salário” (pro-labore) e, ainda por cima, gerar lucros; principalmente, para reinvestimento no próprio negócio.

2. Como decidir pelo melhor negócio

É importante a realização de uma pesquisa profunda e bastante abrangente em relação aos potenciais negócios possíveis e, além disto, mesmo que se tenha uma boa resposta, em termos de negócio, também é importante atentar e decidir em relação ao melhor local para a exploração comercial do negócio.

3. Não agir por impulso ou deliberadamente

Lembre-se que a decisão dever ser a mais acertada possível, para que não se incorra em perdas com decisões equivocadas, o que poderá fazer com que o investimento não seja recuperado e, o pior, a oportunidade de empreender, em vez de promissora, proporcionar uma enorme “dor de cabeça”. Portanto, qualquer decisão deverá pressupor, acima de tudo, uma fundamentação técnica, alicerçada num estudo previamente elaborado e permitir a máxima segurança para que o sonho não se transforme em pesadelo.

4. Plano de negócios – norteando a decisão

É recomendável elaborar um plano de negócios, o qual permitirá realizar estimativas que farão com que o negócio seja pensado, na abrangência da sua conjuntura e, por conta disto, melhor avaliado. Uma vez desenvolvido, deverá ser colocado em prática e, de forma muito conservadora, ajustando-o de acordo com o desenvolvimento do negócio, de forma a permitir um melhor acompanhamento da actividade a qual decidiu desenvolver.

5. Controlos de gestão eficazes

Toda a operação deverá ser acompanhada, preferencialmente, por um software adequado de gestão (há softwares para todos os tamanhos de negócios) e os controlos devem ser religiosamente elaborados, acompanhados, e as informações geradas, comparadas com aquelas estimadas no Plano de Negócios. Qualquer divergência, seja positiva ou negativa, deverá ser analisada e decisões de ajustes ou estratégicas devem ser imediatamente tomadas.

6. Decidindo sobre o sistema tributário mais adequado

É fundamental o apoio de um contabilista certificado. Ele irá ajudar na decisão da escolha do melhor sistema tributário a ser utilizado para o desenvolvimento do negócio. Lembrando que existe a possibilidade desde uma forma bastante simplificada até mesmo a mais sofisticada, de acordo o tamanho do negócio e com a legislação pertinente, visando sempre ao menor impacto tributário ao contribuinte. No entanto, é recomendável desenvolver o negócio num ambiente da formalidade. Engana-se quem acredita que a informalidade poderá representar alguma vantagem!

7. Jamais confundir facturação com lucro

É imprescindível não usar o dinheiro obtido com a facturação para outras finalidades alheias àquelas da própria actividade que se decidiu empreender. O erro mais comum do empreendedor é apoderar-se do dinheiro proveniente da facturação para uso pessoal, ou seja, gastando-o ou “investindo-o” em finalidades pessoais (gastos com ostentação!). Com base no plano de negócios, o empreendedor deve prever o valor de uma compensação mensal, a título de pro-labore (salário pela sua dedicação à empresa), e todo e qualquer gasto pessoal deverá estar religiosamente limitado a este valor. Em relação a todo e qualquer investimento pessoal, somente em caso de lucro no negócio e, mesmo assim, no caso do mesmo não ser reinvestido no próprio negócio. Lembre-se, dinheiro não aceita insultos, uma vez gasto indevidamente, dificilmente retornará!

8. Evitar atrasos no pagamento de impostos

Procure fazer as compras a prazos superiores àqueles de recebimento dos clientes de forma que o fluxo financeiro da actividade seja capaz de proporcionar a cobertura dos recursos necessários para o financiamento da actividade. Endividamento bancário somente se mostrará vantajoso quando se tratar de investimento a longo prazo ou financiamento de bens para o desenvolvimento da actividade, no entanto, desde que a actividade proporcione lucros suficientes para remunerar os juros dessa operação. E, mais uma vez, não se utilizar desse pressuposto para “financiar” actividades pessoais. Em relação aos encargos tributários, também é muito importante a manutenção do seu pagamento em dia, além do cumprimento do aspecto social a que ele se destina, também evitará a delapidação do património motivada pela necessidade de pagamentos com os seus encargos (multa e juros) da dívida.

9. Rever o Plano de Negócios minimiza surpresas desagradáveis futuras

Minimamente a cada três meses, deve rever o plano de negócios e tentar alinhá-lo às condições do mercado de actuação em relação às premissas que serviram de base à sua fundamentação. Lembrando que o negócio sempre deverá estar pautado nas condições mais favoráveis do mercado, e o foco no negócio deverá ser a bússola, o norteador de maior importância, como objectivo do negócio. Procedimento dessa natureza favorecerá o encaminhamento da actividade, de modo a corrigir eventuais distorções entre o planeado e o que está a ocorrer, na prática.

10. Disciplina e organização como instrumento de eficiência e eficácia na condução do negócio

Portanto, como pressuposto básico na condução de um negócio, a disciplina deve acompanhar todo o desenvolvimento de qualquer actividade. Qualquer vacilo de gestão, por menor que seja, poderá, se não prejudicar o negócio, atrasá-lo em demasia! Neste sentido, a organização das actividades e dos controles é de suma importância, haja vista contribuírem para que os problemas, assim como as oportunidades sejam detectados de forma imediata e, neste sentido, as decisões sejam rapidamente tomadas, o que sempre resultará em benefício para o negócio.
LER TAMBÉM  Ideias de negócio pet friendly

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.