cartões de crédito

6 Maus hábitos fomentados pelo uso dos cartões de crédito

cartões de créditoOs cartões de crédito fomentam alguns maus hábitos que prejudicam imenso as nossas finanças pessoais. Conheça-os para que o seu cartão de crédito esteja às suas ordem, e não o contrário.

 

1. A impaciência

Eu quero já! Eu quero agora! E não quero saber se não tenho dinheiro para comprar. O que quero é comprar imediatamente! Isto é-lhe familiar? Os cartões de crédito são a desculpa perfeita para a falta de paciência destes tempos dominados pelo consumismo, onde todos querem ter tudo e já.

A impaciência é um péssimo hábito que conduz à frustração porque as coisas não se fazem ou resolvem quando queremos. Infelizmente o mundo não gira à nossa volta e a paciência é uma virtude. Tente não ser impaciente pois isso irá trazer-lhe inevitavelmente “amargos de boca”.

 

2. A gratificação momentânea

Este mau hábito é irmão da impaciência, ou seja, é o “eu quero” e “quero agora”! Esperar? Isso não é para mim. Sou uma pessoa importante e não posso esperar junto à plebe. A realeza não espera.

O que irá acontecer futuramente é que quando precisar de alguma coisa realmente importante, já não o irá conseguir, porque a gratificação instantânea levou-lhe a vontade própria e a capacidade de se esforçar.

 

3. Falta de planeamento

Se posso ter dinheiro extra sem esforço e sem ter que esperar, então para quê planear? O planeamento é para as pessoas aborrecidas ou para os nerds (lol…). Eu gosto de viver a vida, sou uma pessoa espontânea! Não quero saber de planos e gosto que a vida me surpreenda.

LER TAMBÉM  Boonzi – Um programa para o auxiliar a controlar as finanças pessoais

O problema é que a falta de planeamento também leva à falta de tranquilidade, de conquistas e de satisfações na vida, mas cada um é que escolhe as suas batalhas.

 

4. Gastar mais do que se tem ou do que se ganha

Se não tiver o bom hábito de registar os seus rendimentos e gastos, e se para além disso juntar o facto de pedir dinheiro emprestado, então está criada a receita para o desastre. Imagine que ganha 10,00€ e tem um cartão de crédito com 8,00€ disponíveis. Se não fizer bem as contas e separar o que é dinheiro ganho do que é dinheiro emprestado, irá ficar convencido de que ganha 18,00€ e começará rapidamente a ficar endividado sem sequer se aperceber.

 

5. O “Eu mereço”

Eu trabalho no duro e mereço ter uma televisão nova! Estou tããããooo cansado que mereço ir de férias durante uma semana. Não estou a dizer que não merecemos um “mimo” de vez em quando, mas é a mentalidade do “eu mereço” que não está bem. Este tipo de mentalidade torna-nos irreflectidos, gastadores, irresponsáveis e demasiado condescendentes com nós próprios.

Ninguém merece estar endividado, ou merece? Então, da próxima vez que decidir dar um pequeno “mimo” a si próprio porque merece, verifique que o faz com o seu próprio dinheiro e não com dinheiro emprestado.

 

6. O hábito de pagar em prestações

Este é um hábito que tem muito a ver com o ponto de vista. Se eu tiver 10,00€ para pagar um objecto de 10,00€, prefiro pagá-lo em prestações para “não sentir que estou a ficar sem dinheiro”.

A mente prega-nos um truque e engana-nos, fazendo-nos crer que pagando aos poucos, pagamos menos, no entanto, isso é um erro tremendo! Todas as prestações ou mensalidades têm um custo inerente, mesmo que na publicidade se diga que não há juros.

LER TAMBÉM  A crise pode levar a uma má alimentação

Este hábito está tão arreigado, que muitas pessoas mesmo com os números à sua frente a provar que pagam mais, não o conseguem evitar. Este costume faz com que se pague mais e desperdice dinheiro desnecessariamente.

 

Aqui está. Os 6 maus hábitos que nos “esvaziam” o bolso e o saldo dos cartões de crédito. Não quer dizer que sejam a pior coisa que podemos fazer às nossas finanças pessoais, mas ajudam muito.

Conhece algum outro mau hábito? Partilhe na caixa de comentários.

Sem comentários

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.