Regras Básicas Para Poupar Dinheiro

6 Regras Básicas Para Poupar Dinheiro

Regras Básicas Para Poupar DinheiroInfelizmente há muita gente que gasta mais do que ganha, e embora a maioria poupe parte dos seus recursos, fazem-no de forma informal.
Para tentar elevar um pouco a sua cultura financeira, vamos conhecer as seis regras básicas e indispensáveis da poupança: a primeira, destinar entre 10 e 15 % dos rendimentos mensais à poupança.
A segunda regra é evitar compras desnecessárias ou compulsivas. Para as detectar vale a pena fazer uma análise pessoal para ver onde gasta o dinheiro e definir aquilo de que pode prescindir.
Também será boa ideia reduzir os gastos que não sejam prioritários para destinar una pequena parte desse dinheiro à poupança.
A quarta é estabelecer e priorizar objectivos financeiros, sempre considerando que é importante começar a poupar para a reforma.
Sugiro como quinta e sexta regras que quantifique quanto dinheiro precisa para atingir os seus objectivos financeiros e não fazer uso do capital a menos que seja estritamente necessário ou que seja utilizado para o objectivo para que foi planeado.
Ainda há muitas pessoas que gastam mais do que aquilo que ganham. Mas por outro lado, já há muitas pessoas também têm o hábito da poupança, embora muitos o façam de forma informal. Apenas uma pequena percentagem da população guarda o seu dinheiro numa conta de poupança ou de investimento.
Muitos dizem que é difícil poupar porque os seus rendimentos são baixos e apenas conseguem cobrir as suas necessidades básicas, mas ainda assim é preciso reflectir que a falta de poupança das famílias não é só uma questão de falta de recursos, mas é também uma questão cultural.
Por outro lado, mesmo os que estabelecem objectivos concretos de poupança, não consideram a sua reforma nos ditos objectivos, o que é imperativo tomar em conta porque, para ter uma reforma condigna e com qualidade, devemos considerar isso como uma prioridade.
É muita reduzida a percentagem da população que poupa através de uma conta Poupança-Reforma, o que diminui a possibilidade de acumular valores suficientes para uma reforma digna, assim como de ter capital disponível para o cumprimento de metas como comprar uma casa, pagar a educação dos filhos, viajar, entre outros.
Para começar a adoptar hábitos ou uma cultura de poupança, também recomendo que procure uma ferramenta que permita fazer um registo dos rendimentos e gastos mensais; receber e analisar a contas bancárias; para além de planear com antecipação o uso de eventuais rendimentos extra.
LER TAMBÉM  Como economizar energia durante o inverno
2

Sem comentários

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.