wall street

O famoso mercado de Wall Street

wall streetPorque é que Wall Street é tão famosa? Esta rua está presente em Manhattan inferior, nos Estados Unidos, e é considerada o coração do actual Distrito Financeiro da cidade de Nova Iorque, onde está localizada a Bolsa de Valores da mesma, a mais importante do país e para muitos a mais importante do mundo.
Para quem não sabe a Wall Street é actualmente o maior centro comercial a nível financeiro de todo o mundo. Nesta tão famosa rua circulam os maiores representantes de empresas, as maiores de todo o mundo.
O comércio que envolve toda esta gigantesca rua é basicamente controlada e sustentada, por assim dizer, por todos os funcionários das grandes empresas que estão presentes em Wall Street.
Wall Street é ainda conhecida mundialmente pelas suas arquitecturas, pelos seus gigantescos e bonitos edifícios e pelo brilho que esta transmite a qualquer pessoa ao caminhar ao longo da mesma. Alguns dos edifícios mais famosos do mundo estão presentes aqui, tal como o The Trump Building, o 14 Building, o Federal Building e o prédio da New York Exchange.
Como referenciado, nesta rua encontram-se as sedes das empresas mais importantes do mundo a nível empresarial e financeiro. Algumas ganharam muita fama e valor de mercado pelo simples facto de investirem no seu negócio e projectarem o mesmo na Wall Street.

A história

O nome desta rua foi extraído de acontecimentos ocorridos no século XVII, com o facto de durante esse mesmo século, constituiu um limite a norte de Nova Amesterdão. Era nesse local onde os holandeses tinham construído uma parede de madeira e lama, por volta de 19652. Esta parede significava um forte escudo, uma defesa, contra possíveis ataques dos antigos índios de Lenape, dos colonizadores de Nova Inglaterra e ainda dos ingleses, mas de facto, esta parede, era usada também para manter os escravos negros da colónia.
Esta parede foi demolida pelos Ingleses em 1699.
No fim do século XVIII, os intermediários financeiros encontraram-se e reuniram-se para negociar, de forma informal junto a um plátano de Wall Street, a derrocada e o controlo do espaço. Aqui deu-se as primeiras origens do que hoje conhecemos como mercado conservado em stock do comércio Nova-iorquino.

A influência da Wall Street no mundo

Para muitos, uma empresa que fecha nesta rua é a mesma coisa que ir à falência em termos empresariais.
Isto porquê? Porque a Wall Street tornou-se tão famosa por todo mundo, conseguiu juntar de todas as formas as melhores empresas do mundo inteiro num só lugar. Isto em termos técnicos pode ser reflectido como esta rua sendo a rainha do mundo. Existe casos no mundo de sedes de grandes empresas que estavam presentes na Wall Street e que foram encerradas por algum motivo e desta forma todas as suas distribuições a nível de património no mundo, acabou por ser apenas mais uma má história no papel, mas acima de tudo uma empresa que abriu falência.
Esta tamanha fama, que foi criada por muitas empresas e empresários de todo o mundo, deu à Wall Street um certo poder e controle sobre as grandes economias mundiais que só o facto de uma empresa deixar de estar presente aqui pode sofrer vários colapsos nas suas finanças e no seu crescimento como negócio.
Acredita-se que todas as empresas locadas nesta famosa rua atingem o sucesso de forma fácil. Mas não!
Estando presente ou não em Wall Street, as empresas trabalham muito diariamente para chegarem aonde muitas estão. Uma frase muito usada nos Estados Unidos referente a esta rua é “Wall Street nunca dorme!”. Ou seja, muitas empresas presentes aqui trabalham 24h sobre 24h.
Wall Street é ainda um ponto de encontro de todos os maiores criadores de riqueza no mundo. Acredita-se que não exista nenhum empresário no top 1000 do mundo que não tenha negócios nesta mesma rua. Pode-se assistir a grandes encontros entre grandes mentes diariamente em Wall Street.
Muitos empresários viajam de um canto do mundo para o outro apenas para ter uma simples reunião, gastando milhões de dólares diariamente para sustentar estas deslocações.
Tendo em conta esta acção, podemos ver o quanto a Wall Street é influente no mundo. O quanto os empresários são dependentes desta mesma rua.
Será tudo psicológico? Pode-se dizer que sim por um lado. Pois uma empresa pode ter sucesso num deserto como em Wall Street. Tudo varia dependendo do modo como a empresa ou negócio é gerido e por quem. Que público pretende atingir e que mercado pretende actuar. Mas pondo de parte a parte psicológica, temos a parte técnica e real, que é o simples facto de qualquer empresa que esteja colocada na Wall Street tem uma alguma margem de avanço, no sucesso, em relação a outras empresas que iniciaram o negócio.
E por vezes questionamo-nos se isto é mesmo verdade. Mas pequenos grandes detalhes não precisam de questões. E alguns destes detalhes são, o facto de a Wall Street ter investimentos em marketing que rondão biliões de dólares anuais, as acções televisivas, os canais de TV que estão presentes diariamente, os jornalistas que tentam invadir as instalações de quase todas as empresas para poder publicar a sua história ou outros casos, os próprios investimentos que as empresas fazem entre elas, quer estejam no andar abaixo ou no edifício à frente. Para muitas empresas em Wall Street não existe o factor rivalidade, mas sim a entreajuda que proporciona grandes crescimentos e rendimentos para ambas.
Trabalhar em Wall Street é possível? Sim. É como o sonho americano para muitos! Apesar de ser uma das tarefas mais complicadas a nível mundial, não deixa de ser possível. Estima-se que aqui estão presentes os melhores postos de trabalho, os melhores salários e acima de tudo, melhores condições de trabalho. Mas para poder ter um lugar aqui é necessário muito suor, muita dedicação e acima de tudo muitos estudos. Existem casos de sucesso que apenas começaram a sua carreira por voltas dos 35 anos de idade. Até esta idade dedicaram toda a sua vida aos estudos. Quer seja na faculdade, quer seja em formação por diversas empresas ou até de forma individual. A verdade é que é um caminho muito longo a percorrer, é como de cerca de um milhão de pessoas lutasse por apenas um cargo de trabalho.
Por isto, pode-se dizer que atingir o sucesso em Wall Street é como viver o sonho americano, conhecido mundialmente como a pequena frase “The American Dream”.
É possível andar pela Wall Street? Claro, como numa rua completamente normal. Apenas terá alguns problemas na diferenciação de preços e qualidade. Isto porque beber um café e comer um bolo num café em Wall Street não é, nem de longe, o mesmo que fazê-lo numa outra rua dos Estados Unidos inteiro. Existem lugares exóticos e com aparências de sonho que normalmente apenas conseguimos ver nas revistas ou quando sonhamos, mas o que acontece em Wall Street é realmente real. É lindo e é como estar num mundo completamente diferente.
Como consegue uma rua ter esta influência? Desde a sua história até ao poder de um único presidente de uma grande empresa a nível mundial é tudo diferente de todos os outros lugares do mundo. É como o paraíso empresário e o sonho de qualquer jovem em um dia atingir lugares como estes.
Dito por muitas pessoas que pisaram esta rua como uma das experiências da vida, é um dos lugares mais belos que já frequentaram e não precisaram de ir até às Caraíbas.
Quando se sabe tanta informação e o quanto existe poder onde se entra, de certo modo, dá muito mais vontade e apetite de explorar e conhecer. Querer um bocado, participar em algo, tirar uma fotografia, cumprimentar alguém, ver uma celebridade e muitas outras pequenas coisas que para muitos é um sonho e para outros é apenas trabalho.

Os famosos mercados

Em Wall Street estão presentes os maiores mercados de todo o mundo. A maior percentagem de empresas que estão presentes na Bolsa de Valores está em Wall Street. É realmente como estar perto de diferentes Papas numa só rua!
De minuto a minuto, de segundo a segundo em Wall Street são perdidos e ganhos triliões de dólares por dia, todos os dias. Pequenos erros ou desatenções por parte de alguém e uma empresa pode entrar em colapso, pode ter que modificar uma estrutura inteira e assumir erros que duram, por vezes, anos.
Estar colocado no quadro de uma destas empresas é, de certa forma, uma das maiores responsabilidades que se pode assumir na vida. É um futuro que está em mãos, uma empresa, um corpo empresarial e as finanças da mesma. Daí muita gente ter medo de assumir cargos em empresas presentes em Wall Street.
Grandes mentes escondidas por detrás de toda a beleza dos edifícios geram milhares de dólares por hora. Certamente uma grande responsabilidade e, acima de tudo, muito trabalho árduo para todos. Existe grande pressão aqui, pode notar-se quando se entra em alguma empresa o nível de rigor exigido por parte dos presidentes das mesmas.

Os correctores da Bolsa em Wall Street

Em Wall Street é onde podemos encontrar as melhores empresas e melhores correctores da bolsa em todo o mundo. Como referido anteriormente, a Wall Street é como um paraíso financeiro.
Aqui podemos encontrar os mais variados serviços para investir na bolsa, desde às empresas que investem até individuais que ajudam a investir. Tudo é negócio em Wall Street.
Todas as semanas a Bolsa de Valores fecha a ganhar ou a perder, não se tratando de um jogo que possa surgir empates. Pois trata-se de números, dinheiro negócios. Com isto todos os dias trabalha-se arduamente em quase todas as empresas para que terminem a semana a subir ou com melhorias significativas.
Normalmente quando existem catástrofes pelo mundo fora tal como a guerra no Iraque, os problemas na Líbia, os rumores de que grandes presidentes estão em declínio, mortes de pessoas de estado, etc. Tudo isto influência nos negócios, nos números, nas subidas e descidas na Bolsa de Valores.
Porquê? Simples. Pelo simples motivo de todas estas causas prejudicarem o mundo. Sabemos que a guerra no Iraque atrasa o fornecimento de petróleo por exemplo, sabemos ainda que esta mesma guerra afecta o factor turístico em alguns países no mundo derivado a medos que surgem por parte da humanidade em relação a atentados. Com tudo isto muitos números sobem e descem nas empresas. Ao desistir de uma viagem, não se trata apenas de uma viagem mas sim de um cliente que se perde, ao desistir de abastecer ao carro para poder andar de transporte, não é simplesmente um gesto de poupança ou de crescimento para as empresas, apenas para nós.
Hoje em dia são os milhares de pessoas que procuram formas de contornar essas dificuldades e tentar sempre o mais barato, o mais produtivo possível pelo menor número de preço, isto, influência em Wall Street.
Os resultados empresariais em Wall Street continuam e sempre irão continuar a sustentar as praças dos Estados Unidos, mostrando acima de tudo optimismo mesmo após a todos os problemas no mundo inteiro. Aqui luta-se para o melhor da economia do mundo e pelo melhor nos negócios.
Temos o caso do atentado de 11 de Setembro nos Estados Unidos, às Torres Gémeas. Esta causa fez com que muitas empresas tivessem que repensar em formas de contornar as perdas. Pois com isto milhares de negócios foram fechados, empresas e pessoas afectadas e muitos números negativos apareceram nos grandes ecrãs.
Milhares de pessoas deixaram de viajar por um determinado tempo, deixaram de consumir certos produtos, viviam com medo e assombradas pelo medo dos atentados. Simplesmente não viviam, e com isto a economia é afectada.
Hoje, temos o petróleo cada vez mais caro, os combustíveis cada vez aumentam mais. Mas tudo isto é porque querem meter dinheiro no bolso? Não. Por mais corrupção que exista no mundo, nem todas as empresas o praticam. E existem inúmeros problemas para o combustível hoje assumir uma posição tão cara.
Todos sabemos que os maiores fornecedores de petróleo são os países que por vezes declaram guerras, que entram em conflitos pessoais, que por vezes assiste-se a grandes problemas no próprio país de onde vem o petróleo como recentes casos de presidentes que foram assassinados por tropas, de atentados a instituições de grande nome no mundo, tudo isto influência no preço do combustível em todo o mundo. Ao morrer um presidente, o suposto presidente que assumirá o posto terá uma teoria a nível de negócios, de preços e de distribuição muito diferente da do antigo presidente, certo? E com isto o preço irá certamente ser alterado. Tal como podemos observar em outros casos a escassez de petróleo em alguns dos reservatórios mundiais, algumas plataformas que são encerradas derivado ao fim de petróleo naquela área, entre outros inúmeros casos.
Os produtos alimentares afectam na Bolsa de Valores? Como qualquer outro negócio do mundo. Se calhar, em alguns casos, muito mais do que outros. Pelo simples facto de ser algo de consumo primário. Algo que necessitamos todos os dias, todas as horas do dia e certamente mesmo que os preços subam ou desçam vamos sempre consumir. A grande questão é a nível de quantidade, as pessoas têm tendência em diminuir no consumo quando os produtos assumem um preço elevado. Por sua vez, procuram produtos mais baratos de marcas um bocado mais inferiores.

Um resumo de Wall Street

É nada mais, nada menos do que a rua mais famosa do mundo inteiro. É a rua com maior peso nos negócios mundiais, com maiores interacções com a Bolsa de Valores e acima de tudo onde estão presentes as maiores correctoras da Bolsa de todo o mundo.
Em Wall Street é comandado as finanças de quase todas as grandes empresas do mundo. Um banco que encerre na Europa pode certamente encerrar em Wall Street como o contrário também é plausível.
A influência que esta assume em torno dos negócios mundiais é de extrema importância para todos. Será sempre uma referência mundial a nível de empresas, negócios e empresários.

Referências de Wall Street

Para quem um dia desejar conhecer o mundo de Wall Street e interagir um bocadinho a nível de conhecimento da mesma, menciono abaixo livros de grande notoriedade para o enriquecimento cultural.
  • Atwood, Albert W. and Erickson, Erling A. “Morgan, John Pierpont, (Apr. 17, 1837 – Mar. 31, 1913),” in Dictionary of American Biography, Volume 7 (1934)
  • Carosso, Vincent P. The Morgans: Private International Bankers, 1854-1913. Harvard U. PressCarosso, Vincent and P. Investment Banking in America: A History Harvard University Press (1970)
  • Chernow, Ron. The House of Morgan: An American Banking Dynasty and the Rise of Modern Finance, (2001)
  • Geisst; Charles R. Wall Street: A History from Its Beginnings to the Fall of Enron. Oxford University Press.
  • John Moody; The Masters of Capital: A Chronicle of Wall Street Yale University Press, (1921)
  • Morris, Charles R. The Tycoons: How Andrew Carnegie, John D. Rockefeller, Jay Gould, and J. P. Morgan
  • Perkins, Edwin J. Wall Street to Main Street: Charles Merrill and Middle-class Investors (1999)
  • Robert Sobel The Big Board: A History of the New York Stock Market (1962)
  • Robert Sobel The Great Bull Market: Wall Street in the 1920s (1968)
  • Robert Sobel Inside Wall Street: Continuity & Change in the Financial District (1977)
  • Strouse, Jean. Morgan: American Financier.
Gostou do nosso artigo? Partilhe sff

LER TAMBÉM  A decadência das democracias ocidentais
2

Sem comentários

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.