Minimalismo e Finanças Pessoais

Minimalismo e Finanças Pessoais

Minimalismo e Finanças Pessoais
Minimalismo e finanças pessoais pode parecer um contrassenso à primeira vista, mas a verdade é que a aplicação dos conceitos do minimalismo pode ajudar a controlar as suas finanças pessoais. Vamos saber como no artigo de hoje.
O mundo moderno tem muitas vantagens em diversos aspectos da nossa vida. Os avanços tecnológicos e outros tipos de avanços ajudam a facilitar (e muito) a nossa vida. No entanto, também é verdade que estes progressos nos tornam indubitavelmente mais consumistas e consequentemente mais “gastadores”.
Investir dinheiro em coisas necessárias para viver ou numa carreira universitária não lhe fará nenhum mal, bem pelo contrário. Mas gastar por gastar e sem qualquer justificação é algo que pode afectar gravemente as finanças pessoais de qualquer pessoa.
Muitas vezes gastamos dinheiro em coisas que pensamos serem úteis e nesse momento não sentimos que estamos a fazer algo incorrecto ou desnecessário. O problema vem no final do mês quando nos damos conta que ainda há muitas contas por pagar. Uma solução para este problema seria seguir um estilo de vida minimalista.
Talvez agora se esteja a questionar sobre o que tem o minimalismo a ver com finanças pessoais? A resposta é mais óbvia do que pensa. Até pode aplicar os princípios do minimalismo para controlar finalmente as suas finanças pessoais de uma forma muito eficiente.
 

Como combinar minimalismo e finanças pessoais?

Comecemos então por definir o que é o minimalismo. Este conceito implica simplificar as coisas tanto quanto possível. O objectivo é dar importância e relevância ao que é realmente necessário e útil para a nossa vida. Com efeito, existem muitas formas de aplicar este conceito e uma das mais famosas são as 10 leis da simplicidade.
Partindo deste conceito, podemos entender como o podemos adaptar às nossas finanças pessoais. E é aqui que podemos poupar muito dinheiro ao deixar de lado os caprichos materiais e os gastos desnecessários.
Algumas pessoas têm uma ideia equivocada sobre esta filosofia de vida, pois associam-na a carência e pobreza. Mas como estão enganadas! Simplificar não significa ser mais pobre ou ter falta de alguma coisa. Significa sim aproveitar aquilo que realmente necessitamos, deixando de lado o que não nos faz falta nenhuma.
É importante compreender que aplicar as regras do minimalismo para ter as finanças pessoais controladas não quer dizer que doravante temos de levar uma vida triste e miserável. Não, longe disso. A ideia é simplesmente desfazermo-nos de coisas que não precisamos para termos uma vida digna e sem preocupações. Por que razão havemos de nos preocupar com as coisas acessórias e deixar de lado o que realmente nos importa? Afinal não é mais importante o ser do que o parecer?
Se pensarmos bem, talvez muitos dos nossos gastos e alguns bens não sejam mais do que um simples capricho. Quantas coisas são realmente necessárias para ter uma vida cómoda e aproveitada na sua plenitude? Este exercício pode ajudá-lo a mudar completamente os seus padrões.
 

O que fazer?

Uma vez definido o que é verdadeiramente relevante e necessário para levarmos uma boa vida, devemos identificar tudo aquilo que representa um gasto injustificado e desnecessário para nos livrarmos disso. Para o conseguir devemos fazer um orçamento para fazermos um controlo eficiente.
Actualmente existem muitas ferramentas em que nos podemos registar para podermos controlar todos os rendimentos e gastos que fazemos. Na Internet podemos encontrar ferramentas muito úteis para esse fim e algumas até podem ser usadas de forma gratuita no smartphone. Se não quiser fazer isso, então pode sempre usar a fiel folha de cálculo do Excel.
 

Mas prescindir do quê?

Por exemplo, se vive na cidade, mas tem um apartamento na praia e passa meses sem lá ir, então é mais do que óbvio que a propriedade do mesmo apenas representa um encargo desnecessário. A ideia não é privar-se de fazer férias, mas pode prescindir desse bem material (e vendê-lo), tentando encontrar outras formas de recreação que não exijam encargos fixos.
Os cartões de crédito são outro bom exemplo. Não estou a dizer que deve prescindir de todos os cartões, mas se pertence aquele grupo de pessoas que está acostumado a andar sempre com três e até cinco cartões no bolso, então o mais certo é que esteja sempre endividado.
Isso não é bom para as suas finanças. Sugiro que se desfaça da maioria dos cartões (fique no máximo com dois), e que os utilize somente para casos de emergência e para o ajudar a manter um bom historial de crédito na banca.
Por outro lado, se tem várias dívidas, então tente saldá-las o mais rápido possível. Lembre-se que estas irão afectar o seu fluxo de caixa. Pode liquidá-las (por exemplo) com o dinheiro que vai poupar depois de se ter livrado dos bens materiais desnecessários. É importante que após se ter conseguido livrar das dívidas não volte a endividar-se. Lembre-se destes ditados: “Livre-se do dever, que o pagar é certo”, pois “Quem não deve, não teme”.
 

Benefícios do minimalismo nas finanças pessoais

Mesmo que ainda não o esteja a ver, a verdade é que existem mais benefícios para além da poupança. Evidentemente que o facto de se ter livrado das dívidas e dos objectos desnecessários irá permitir-lhe manter as suas finanças pessoais saudáveis e ter a certeza de um futuro livre de preocupações e carências, sempre rodeado de abundância.
Uma das coisas mais importantes que irá conseguir é finalmente ter uma liberdade financeira invejável. Outra das vantagens do minimalismo será a tranquilidade de que poderá desfrutar daí para a frente. Esta sensação irá finalmente deixá-lo dormir sem preocupações pois não terá de pensar como irá conseguir arranjar dinheiro para chegar até ao final do mês.
Ao sentir-se tranquilo terá finalmente o controlo das suas finanças pessoais e assim conseguir a tão ansiada liberdade financeira.
Do que está à espera para aplicar este conceito? Você também pode adoptar um estilo de vida minimalista e consciente em benefício do seu dinheiro e da melhoria da sua qualidade de vida. Não se fique apenas pelo conceito. Comece a actuar e a aplicar todas as medidas necessárias para garantir o sucesso e melhorar as suas finanças pessoais.
 
Para terminar gostava de deixar aqui uma palestra inspiradora da Ted Talks sobre este tema:
Já conhecia o minimalismo? Tinha consciência dos benefícios do minimalismo em termos de finanças pessoais? Diga-nos o que pensa sobre o minimalismo e finanças pessoais na nossa caixa de comentários. Adorava conhecer a sua opinião sobre este tema tão interessante.

LER TAMBÉM  Como melhorar a rentabilidade do seu dinheiro
4

Sem comentários

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.