ethereum moeda

Ethereum Moeda: Como foi Criada e Como é Gerida?

Já ouviu falar de Ethereum Moeda? Foi o Bitcoin a começar tudo. Carrega o fardo de ser a rede mais atacada, a que tem o pior marketing (talvez porque não tem departamento de marketing), e a mais descentralizada. É, sem dúvida, a maior e mais poderosa rede criptográfica da história. No entanto, a moeda do Ethereum (Ether) está a ganhar cada vez mais relevância.
Da mesma forma que a rede Bitcoin utiliza uma moeda para funcionar, Bitcoin, existe outra rede que se baseia nos mesmos princípios para funcionar. Esta rede tem outra moeda que é a segunda maior em termos de capitalização de mercado, a moeda da rede Ethereum, o Ether.
Ethereum é algo mais do que uma rede monetária. Descrita em 2013 no Whitepaper de Vitalik Buterin, um canadiano de ascendência russa, o seu propósito é muito diferente do bitcoin.
É uma criptomoeda, da mesma maneira que o bitcoin, mas o sua principal utilidade não é ser um meio de pagamento. O sue objetivo não é ser “dinheiro”. O Ether é combustível para um computador mundial.
ethereum moeda

Ethereum Moeda: Porque foi criada?

Na sua essência, a rede Ethereum foi concebida para fornecer um lugar para a criação e gestão dos chamados Contratos Inteligentes: código que movimenta dinheiro com base numa condição. Para tal, é concebido um computador gigante, sem dono e global, sem um ponto de controlo central, que executa estes Contratos Inteligentes.
Por outras palavras, para que estes programas funcionem, milhares de computadores em todo o mundo são coordenados para executar o código e dar forma a este supercomputador. Código que, como tudo o resto de valor em cadeia de bloqueio, é descentralizado.
Pense numa aplicação. WhatsApp, por exemplo. Este aplicativo funciona em cada um dos telefones que o têm instalado, e necessita de um computador central, propriedade do Facebook, que armazena, gere e opera todo o serviço. Uma rede onde milhões de pessoas se ligam a um ponto central. Isto NÃO é uma cadeia de bloqueio.
Um aplicativo como o WhatsApp baseado inteiramente no Ethereum não teria um ponto central: seria executado por todos os computadores ligados a essa rede, (quase) simultaneamente.

Ethereum Moeda: uma forma de sustentar a rede

O serviço não teria um servidor central, mas então como é que o sistema é suportado? Como é possível que o que custa ao Facebook tantos milhões de euros para manter os computadores de outras pessoas? Quem paga por tudo isto?
É graças à moeda que existe dentro da rede Ethereum, o Ether (ETH). Esta é a moeda que é utilizada para “pagar” aos proprietários destes computadores descentralizados, que se preocupam muito pouco com o serviço que estão a apoiar.
Estão lá para apoiar todo o sistema e recolher lucros por ele; lucros que recolhem sob a forma de Éteres.
Como é que as recolhem? Tal como em Bitcoin, cada vez que um destes computadores descentralizados resolve um problema de criptografia, a rede recompensa-os com uma certa quantidade de Ethers, atualmente 5 ETH.
Este “prémio” é atribuído sempre que um bloco é resolvido, aproximadamente a cada 15 segundos, a um destes computadores. Esta é a forma do sistema de aumentar o número de Ethers em circulação.

Ethereum Moeda: Como é gerida?

Esta política monetária foi implementada na oferta inicial de moedas (ou ICO na sigla em inglês) de Ethereum em 2014, donde:
  • 60 milhões de Ethers foram criados
  • 12 milhões foram distribuídos entre a Fundação Ethereum e vários contribuintes para o desenvolvimento.
  • 5 Ethers são criados ao fechar um bloco válido.
  • 3 Ethers são criados ao fechar um bloco “secundário” (um bloco válido mas não na cadeia principal).
Por conseguinte, estes computadores resolveriam (ou fechariam) os blocos de transação, recebendo 5 ETH como recompensa pela sustentação do sistema.
A conceção da política monetária, os incentivos para um comportamento correto e as punições por não o fazer é o que um novo ramo do conhecimento chamado criptoeconomia é responsável.
Como resultado, o que se consegue é que graças ao puro interesse económico destes atores, os proprietários destes computadores distribuídos por todo o mundo, uma rede seja mantida sem um ponto central de controlo.
Uma rede que utiliza a moeda do Ethereum, o Ether, para funcionar. Uma rede que permite que qualquer pessoa participe nela. Uma rede que é resistente à censura e ao controlo por entidades externas.
E finalmente, uma rede que permite a qualquer pessoa conceber aplicações que, como o bitcoin, não podem ser paradas.
LER TAMBÉM  8 Conselhos Para Criar um Blog de Sucesso
4

Sem comentários

Deixe o seu comentário