Crédito rápido e fácil

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

Crédito rápido e fácilA palavra crédito entrou no nosso léxico e é uma das palavras mais utilizadas, felizmente nuns casos, infelizmente noutros. Quem o procura, diligência para que este seja de atribuição fácil, sem muita burocracia, e rápido, para uma necessidade urgente.

É considerada, hoje em dia, uma máxima incontestável no sistema económico que contrair um crédito para pagar outro(s) é a pior via e sem fim à vista. Há um elevado recurso ao crédito consolidado, à DECO e ao seu gabinete especializado que auxilia o consumidor na descoberta da melhor solução para o seu caso particular de incumprimento. A divulgação destes números assustadores leva-nos ao necessário momento de reflexão quanto ao caminho a enveredar no futuro. Tentar solucionar um problema com outro problema, acarreta sempre mais problemas ainda.

Quem concede os créditos ao cidadão comum? Vem-nos, logo, logo, à memória a propaganda difundida por vários órgãos de comunicação social a fim de publicitar tal tipo de serviços por empresas que quase se auto-intitulam de utilidade pública. São elas as Sociedades Financeiras de Aquisição a Crédito (SFAC`s), empresas especializadas no mercado de concessão de crédito. São úteis, se utilizadas com moderação e considerando que cada situação é única.

No entanto, é necessário ponderar equilibradamente se há real necessidade desse crédito. Como é do conhecimento público geral, foi o crédito que nos endividou “alegremente”, que nos projectou no abismo do “ranking” económico mundial. Estas empresas não podem ser consideradas a “luz ao fim do túnel” para situações de sobreendividamento.

Como, após este alerta ao consumo sensato e equilibrado dos produtos-maravilha destas empresas, aí obter um crédito fácil e rápido?

1 – Contactar com a empresa seleccionada, o que, geralmente, se processa através da Internet ou do telefone. (Assim, a empresa minimiza despesas com funcionários e despesas de manutenção de escritórios, conseguindo uma maior abrangência, não condicionada pela sua localização geográfica. É este factor importante que permite a existência, manutenção e sobrevivência deste tipo de empresas).

LER TAMBÉM  Dicas para poupar com o cartão de crédito

Neste primeiro contacto, serão solicitadas e disponibilizadas as informações pessoais, de identificação pessoal e fiscal, morada e contactos do hipotético cliente.

2 – O cliente recebe, na morada indicada, os documentos relativos ao contrato que se irá estabelecer entre si e a empresa. Como o vínculo compreende deveres e obrigações, convém lê-lo exaustivamente e compreendê-lo.

Caso concorde com as condições contratuais, devolve-o à instituição prestadora do crédito, com toda a documentação solicitada, acompanhada pelas fotocópias comprovativas da situação descrita: os documentos de identificação pessoal e fiscal, o comprovativo do vencimento, a declaração de IRS e o comprovativo da morada.

3 – A instituição de crédito recebe os documentos enviados via correio e aprova ou não esse crédito. Caso obtenha o deferimento pretendido, o montante em causa será depositado na conta que indicou aquando do preenchimento do contrato.

Convém referir que este tipo de crédito tem associadas altas taxas de juro, o que o torna extremamente dispendioso, pelo que apenas deve ser utilizado em montantes relativamente baixos. Se recorrer ao banco para estas “pequenas despesas” pagará despesas administrativas, quando estas sociedades financeiras o isentam de tal obrigação.

Caso reconsidere e não esteja satisfeito com o contrato de crédito rápido, pode desistir dele num período de 14 dias úteis, sem penalizações.

Outras das soluções alternativas rápidas e viáveis para este tipo de crédito, são:

  • O recurso ao crédito pessoal bancário;
  • O recurso ao cartão de crédito;
  • O recurso ao cartão de conta-ordenado.

Por vezes, estes tipos de procedimento, tornam-se até mais rápidos e directos na obtenção do crédito do que com recurso às Sociedades Financeiras de Aquisição a Crédito, aparentemente tão vantajosas.

Se decidir recorrer a uma SFAC`s, existem várias empresas de concessão de “crédito rápido”, tais como a Cofidis, a Cetelem, a Flexibom e a Credibom, cujos nomes são bem familiares ao público consumidor.

LER TAMBÉM  Seria melhor uma taxa de inflação maior?

Deixe o seu comentário

Os cookies ajudam-nos a fornecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, concorda com a utilização de cookies. Saber mais

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close