Comece a pensar

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

dinheiroUma das coisas que leva as pessoas a enfrentar problemas de falta de dinheiro é não pensarem muito bem no que estão a fazer. Somos todos culpados de deixar as nossas vidas em auto-piloto  Compramos determinadas marcas porque são as que conhecemos. Compramos sempre nas mesmas lojas porque sabemos onde estão os produtos, ou porque conhecemos as pessoas da loja, ou simplesmente porque é conveniente. Comemos os mesmos alimentos porque são os que desde sempre comprámos. Somos clientes do mesmo banco porque é mais fácil do que mudar. Comprámos os mesmos jornais e revistas há anos. Paramos no mesmo café antes de ir trabalhar ou vamos lá lanchar porque fizemos sempre assim. Tudo isto torna-nos a vida mais fácil certamente, mas não pensar sobre as outras opções que temos pode sair-nos caro.

Eu estou a dizer isto, mas sou como toda a gente. Contudo, há algum tempo atrás, fui obrigado a parar e a pensar um pouco no que estava a fazer. Tive um pequeno problema físico e não pude fazer exercício durante algum tempo. Como sou daquelas pessoas que mal param têm a infeliz tendência para ganhar peso, comecei a ficar preocupado com a minha situação. Não queria ganhar peso com aquele período de repouso forçado.

Pela primeira vez em muito tempo fui obrigado a pensar realmente nas coisas que comia, a cada refeição e em cada dia. Sempre que tinha vontade de comer, perguntava a mim mesmo se tinha realmente fome. Será que não tinha ingerido já demasiadas calorias naquele dia? Será que precisava mesmo de comer batatas fritas juntamente com um hambúrguer?  Será que precisava de beber um sumo, uma cola, ou bastaria apenas água? Estava a ser cansativo ter de pensar muito bem em tudo quanto comia, mas se não fosse assim o problema seria muito maior. Como resultado consegui não só evitar ganhar peso, como ainda e devido a uma alimentação mais cuidada consegui perder algum peso.

Tudo isto foi sobre comida, mas comecei a pensar se não poderia aplicar as mesmas regras em outras áreas da vida, incluindo a financeira. Quando tento não entrar em rotinas no que diz respeito a gastar dinheiro, sei que estou a gerir bem o meu dinheiro. Sei que sou culpado quando vou a um supermercado e compro os mesmos artigos. Sei que sou culpado de ir sempre às mesmas lojas, porque não me dou ao trabalho de procurar alternativas melhores ou mais baratas. Era então altura de pensar da mesma forma em relação a gerir o meu orçamento familiar, tal como havia feito em relação à comida durante o período em que não podia fazer exercício físico.

E realmente isso fez toda a diferença. Quando pensava que já geria correctamente o meu dinheiro, comecei realmente a verificar que havia algumas áreas onde era possível efectivamente fazer uma melhor gestão do dinheiro. Por exemplo, nas compras do supermercado, comecei a reduzir a conta porque comecei a fazer as contas aos preços e a comparar produtos. Comecei também a olhar para outros bancos e seguradoras para verificar se não tinham melhores condições oferecidas aos clientes. Quando precisava de comprar alguma coisa, comecei efectivamente a verificar os preços em diversos supermercados em vez de comprar automaticamente no meu supermercado habitual. E sempre que surge alguma dúvida em questões de gastar ou poupar dinheiro, agora penso sempre no assunto antes de tomar uma decisão. Hoje em dia sempre que tenho de gastar dinheiro, seja em refeições, coisas para casa ou qualquer outra coisa, questiono sempre qual a melhor forma de gerir o dinheiro que tenho disponível no meu orçamento.

Começar a pensar sobre o dinheiro gasto permitiu-me conseguir poupar muito dinheiro anualmente, o que realmente foi uma surpresa porque, pensava eu, já estaria a gerir bem o meu orçamento familiar. Pensar onde estava a gastar o dinheiro, permitiu-me evitar comprar produtos desnecessários e a conseguir comprar os mesmos produtos a melhores preços.

Mesmo sabendo que é difícil conseguir manter este nível de vigilância permanentemente (ocupa muito espaço na mente), permitiu-me ver ou lembrar-me quão perigoso é deixar as minhas finanças pessoais em auto-piloto  Sei que é provável voltar às mesmas antigas rotinas, mas por outro lado sei que ter passado por esta experiência irá sempre lembrar-me que devo pensar antes de gastar dinheiro. Se você quer realmente poupar dinheiro, deve começar a pensar antes de gastar. Irá ter uma grata surpresa.

Deixe o seu comentário

SUBSCREVER GRÁTIS

Subscreva a nossa lista de email e receba novos artigos e actualizações comodamente na sua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...