Administrar as Dívidas

10 Dicas Para Administrar as Dívidas

O que fazer para pagar as dívidas? Parece impossível, mas você é capaz de chegar lá. Confira o passo a passo de como planear o pagamento das contas em atraso. Com as dicas e decisões certas, qualquer pessoa pode se livrar do endividamento e começar a poupar.
Administrar as Dívidas

Verifique o tamanho da dívida

Faça uma lista de todas as suas dívidas com os valores de cada uma delas. Inclua na lista os bancos, cartões de créditos, parentes, amigos e lojas onde abriu credito.
Some tudo para saber o valor total da dívida. Você pode fazer isso com um lápis e papel ou pela internet acessando o Sistema de Informação de Crédito do Banco Central. Por meio desta ferramenta você conseguirá enxergar todas as suas dívidas, o custo, o fluxo de pagamentos e ainda quais já estão vencidas.

Separe 30 por cento da sua renda para pagar as dívidas

Esse é o valor que os especialistas consideram razoável para você se manter firme no objetivo.

Faça uma lista de suas dívidas

Enumere as suas dívidas da mais alta até a mais baixa e comece tentando renegociar aquelas que têm o maior custo.

Saiba qual a sua atual capacidade de pagamento e procure as empresas para negociar

As empresas têm todo o interesse em negociar dívidas em atraso. É importante que você já tenha avaliado as suas atuais condições e quais dívidas já pode começar a negociar para fazer um bom negócio.

Converse com o gerente da instituição financeira

Esse é o seu primeiro aliado na renegociação da dívida. Mostre ao gerente da instituição financeira todas as dívidas que você possui para ele saber o tamanho do problema. Diga que quer pagar, mas precisa de ajuda.

Troque sua dívida por outra mais barata

Pesquise as taxas de juros de várias instituições e peça um empréstimo para aquela que cobrar as menores taxas. Ao comparar as taxas, leve também em consideração as tarifas, como a de abertura de crédito, por exemplo. Dessa forma, você estará trocando uma dívida de determinado custo por outra bem mais barata. Se for o caso, use parte desse empréstimo para pagar todas as dívidas cujas taxas de juros sejam maiores que as do empréstimo contratado.

Evite o rotativo do cartão de crédito

Para muitas pessoas, o limite de gastos mensais é o limite imposto pela administradora do cartão de crédito e não pelo seu salário. Sendo o cartão o crédito com as mais altas taxas de juros, entrar no rotativo – aquele sistema em que você paga o valor mínimo ou um valor menor do que o total da fatura – pode fazer com que em pouco tempo você esteja devendo mais do que gastou.

Pare de jogar dinheiro fora

Quando suas dívidas são apenas levemente superiores ao seu salário, é possível colocar as contas em dia apenas com disciplina. Situações críticas, no entanto, podem exigir uma medida mais drástica e imediata. Se tiver investimentos, resgate-os para quitar as dívidas em parte ou totalmente. É pouco provável que o retorno financeiro de suas aplicações supere os juros e os encargos que podem incidir sobre a dívida.

Adequar o padrão de vida aos ganhos é fundamental

Nunca tenha um cartão de crédito com limite superior a 50% do seu salário. Seja rigoroso nos seu plano financeiro e tenha força de vontade.

Recompense a si mesmo

Depois de tanto trabalho para controlar o orçamento e ter as dívidas em ordem, você pode comprar algo que queria muito, mas sempre seguindo as dicas acima e tendo bom senso para não gastar além dos ganhos. A recompensa é importante para que o controle financeiro não se torne um sacrifício. Apenas evite que ela se torne frequente.
LER TAMBÉM  Obras que podem valorizar a casa
2

Sem comentários

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.