10 desejos sobre dinheiro para o ano novo que todos deveriam fazer

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

ter mais dinheiroEnquanto algumas pessoas pensam que será melhor evitar fazer desejos para o novo ano para evitar desilusões, nós aqui pensamos que se deve efectivamente fazer alguns desejos para 2013, no entanto, deve-se ser o mais concreto possível. Se você pertence ao grupo das pessoas que costumam fazer desejos para o novo ano, de forma a ajudá-lo a motivar-se para atingir determinados objectivos, então aqui deixamos algumas dicas que deverá considerar no que diz respeito às suas finanças pessoais:

 

Poupar mais

É fácil dizer a nós próprios que vamos poupar mais dinheiro, no entanto alguma vez pensou realmente seguir este conselho? Experimente começar a poupar dinheiro durante um mês inteiro antes de pensar em começar a gastar em outras “necessidades”. Se pensa que poupar é difícil, é tempo de começar a pensar de forma diferente. Mesmo alguém com um orçamento familiar reduzido consegue sempre encontrar formas de cortar custos e assim poupar algum dinheiro. Para o efeito deve começar devagar. Experimente começar por poupar apenas 5,00€ ou 10,00€ todos os meses. Há pessoas que gastam todo o dinheiro que têm na carteira, pelo que se recebe o seu salário automaticamente por transferência bancaria, deve depositar o valor que decidiu poupar numa conta de poupança, logo que receber.

 

Gastar menos

Gastar menos dinheiro é mais fácil de dizer do que propriamente fazer. Muitos têm a infeliz tendência de gastar demais do que deveriam. Isso acontece porque muitas vezes porque somos levados a comprar mais do que precisamos (principalmente online), devido essencialmente a várias técnicas de marketing que levam as pessoas a gastar mais do que queriam e deviam. Para começar, deve verificar onde está a gastar o seu dinheiro e onde pode cortar custos desnecessários. Por exemplo, em vez de comprar um shampoo especial de 10,00€ ou 15,00€, talvez seja melhor começar a usar o de 5,00€.

 

Pagar dívidas

Pagar dívidas é difícil, especialmente se deixou acumular muito dinheiro em contas atrasadas, criando quase um “monstro”. No entanto, deve começar a pensar em “domar” esse “bicho de 7 cabeças”, para poder controlar o rumo da sua vida. Para resolver este grande problema, comece por apurar os valores totais das suas dívidas e trace um plano de pagamentos mensais até à total regularização dos valores em falta. Comece por reservar uma parte dos seus rendimentos para o valor que irá pagar mensalmente. Se não puder ou não conseguir colocar algum dinheiro de lado com os seus rendimentos actuais, deverá ponderar em conseguir ganhar um dinheiro extra ou procurando um emprego em part-time.

 

Tenha um fundo de emergência

Ter algum dinheiro à parte é importante, para o caso de aparecer algum gasto inesperado, sejam gastos de saúde, uma inundação em casa ou a perda do emprego. Criar um fundo de emergência é difícil se o que ganha mal chega para os gastos, mas tente ir colocando algum dinheiro de lado, por pouco que seja pois como diz o ditado “grão a grão, enche a galinha o papo”. Se tiver algum reembolso de IRS, guarde o que recebeu para o seu fundo de emergência, por exemplo. Idealmente, o valor do seu fundo de emergência deveria ser suficiente para cobrir os gastos de seis meses. Se isso não for possível, deve pelo menos ter um fundo de emergência com dinheiro suficiente para um mês.

 

Crie o seu próprio orçamento

A melhor forma de controlar as nossas finanças é criando um orçamento familiar. Faça uma lista com todos os seus gastos mensais e de quanto dinheiro precisa para fazer face a essas despesas. Isso irá ajudá-lo a ver quanto dinheiro precisa e se tem alguma margem de manobra. Criar um orçamento familiar permite-lhe ter números para trabalhar, ao mesmo tempo que terá consciência de quanto dinheiro você está a gastar todos os meses.

 

Controle as suas finanças

Qual foi a última vez que olhou para o seu extracto bancário? Quantas vezes pagou as compras com o cartão de crédito sem sequer olhar para o valor a pagar? Você deve criar o hábito de controlar as suas finanças por várias razões. Para começar, isso irá ajudá-lo a ver onde está a gastar o seu dinheiro. Provavelmente não terá consciência das contas que tem por pagar até ver o extracto da sua conta bancária. Por outro lado, isso permite-lhe verificar se o seu banco eventualmente se enganou e lhe debitou despesas não autorizadas ou mesmo se foi vítima de alguma fraude. Há muitas pessoas que não controlam o seu extracto bancário e nunca se apercebem se lhes foram debitadas despesas indevidas ou que não são suas.

 

Verifique os créditos que estão em seu nome

Você deve verificar se tem créditos em seu nome. Com créditos habitação, créditos pessoais, cartões de crédito e outros créditos que por aí andam, sabe ao certo quais são os créditos que estão em seu nome? Mesmo que pense que a resposta a esta pergunta seja “Sim”, deve consultar o mapa de responsabilidades de crédito, disponibilizado pelo Banco de Portugal de forma gratuita. Com os dados de acesso ao portal das finanças (NIF e respectiva password), obtém imediatamente um PDF com informação dos seus créditos, quer realizados quer potenciais (plafonds de cartões de crédito).

 

Inicie um Plano Poupança Reforma

São muitos os que não se preocupam em fazer um plano de poupança reforma quando iniciam a sua vida activa. Normalmente é porque pensam que ainda é muito cedo para pensar na reforma ou então porque pensam que não conseguem colocar nenhum dinheiro de lado. Mas nós defendemos que se deve começar o quanto antes a pensar em poupar para a aposentação. O que irá acontecer realmente quando você atingir a idade da reforma? A única certeza que podemos ter é que os valores das reformas irão descer de forma continua, para manter a Segurança social minimamente viável. Para conseguir ter uma reforma decente, terá de ser você a planear o seu futuro e a melhor forma de o fazer é abrindo um PPR.

 

Cuidado com as comissões

Quantas vezes usou o cartão de crédito mesmo sabendo que teria de pagar taxas e/ou comissões? Ou talvez tenha sido preguiçoso e não quis ir ao supermercado, tendo então decidido encomendar e pedido para lhe entregarem as compras em casa (pagando esse mesmo serviço). Talvez mesmo, tenha ultrapassado o limite de crédito autorizado e agora o seu banco está a cobrar-lhe uma comissão por descoberto. Seja qual for a razão, você nunca deve descurar os custos associados às transacções bancárias, de forma e evitar esses custos no futuro.

 

Dinheiro apenas

Já pensou começar a pagar as suas contas apenas com dinheiro? Livrar-se dos cartões de crédito e débito poderá ajudá-lo a poupar mais e a gastar menos. Se apenas puder pagar em dinheiro vivo, irá gastar apenas um determinado montante que não pode ultrapassar, pois não pode comprar a crédito. Desta forma irá cumprir obrigatoriamente o seu orçamento, ao mesmo tempo que irá evitar os custos associados aos cartões bancários.

 

E você? Quais são os seus desejos para o novo ano?

2 Comentários

  1. Luiz Frederico Motta

Deixe o seu comentário

SUBSCREVER GRÁTIS

Subscreva a nossa lista de email e receba novos artigos e actualizações comodamente na sua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...