Vantagens e inconvenientes de procurar financiamento junto da família e dos amigos

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

Pedir dinheiro a familiares e amigos para montar um negócio próprio é uma opção relativamente fácil, embora não isenta de riscos que podem ser evitados (em parte) com uma série de conselhos.

Montar um negócio não é fácil. Uma das principais barreiras continua a ser o capital inicial que qualquer projecto precisa para começar a andar. Embora o valor dependa muito do negócio que se queira montar, em muitos casos é preciso dispor de quantias bastante razoáveis para poder levar avante o nosso sonho.

A família está quase sempre presente para ajudar em tudo e os amigos também costumam dar uma mão naquilo que podem. Também nos negócios? Também. Embora não seja aconselhável misturar negócios com prazer, os denominados FFF (family, fools and friends – família, loucos e amigos) costumam ser uma das primeiras portas a que pode recorrer para conseguir financiamento para os seus projectos.

Mas como acontece com qualquer moeda, esta estratégia tem uma cara e o seu reverso.

 financiamento

Principais benefícios

Uma das principais vantagens de pedir dinheiro a família e amigos é as portas estarem quase sempre abertas. Quem mais tem paciência para o ouvir falar que é boa ideia falar sobre o seu projecto? O tempo para expor as virtudes do seu negócio não é infinito, mas quase, ao contrário de outros investidores institucionais, como os business angels.

Para além disso a confiança é sempre uma boa base para qualquer tipo de acordo. A família mais do que ninguém confia em si e nas suas possibilidades. Os amigos sabem bem quais são as suas capacidades, e se acharem por bem, certamente que poderão ajudá-lo no financiamento que precisa.

Outro dos grandes benefícios de pedir dinheiro aos FFF está no facto de não ter que se submeter a prazos, nem a prazos de devolução. Quando está a pedir financiamento externo, não só tem de devolver o dinheiro emprestado, como ainda tem de o fazer num período pré-determinado e com os juros respectivos. Pelo contrário, estas condicionantes não funcionam da mesma forma com os FFF. Os amigos irão muito provavelmente reclamar o dinheiro emprestado passado algum tempo, mas o normal é que a família até possa emprestar a fundo perdido. Poderá ser bastante gratificante ver como um familiar consegue alcançar o seu sonho, pelo que eventualmente isso será o bastante.

Um detalhe importante: é possível que nem sequer lhe perguntem onde é que gastou mesmo o dinheiro, mas atenção que isso não significa que deva esbanjá-lo.

Para além de tudo isto, teoricamente haverá menos burocracia na montagem do negócio.

Riscos inerentes ao financiamento privado

Mas nem tudo são rosas. Quantas amizades e famílias estão desavindas por culpa do dinheiro? É verdade que inicialmente é provável que ninguém lhe vá reclamar por contas, como e que vai o negócio ou se conseguiu rentabilizar o dinheiro emprestado. Mas se tudo correr bem, isso poderá criar um certo mau estar caso não devolva parte do empréstimo, ou se continuar a pedir ajuda eternamente.

Você poderá não apenas ver caído o seu sonho, como ainda poderá perder uma amizade ou boa relação que tinha com a família se for incapaz de devolver o dinheiro que lhe emprestaram quando necessitou.

Outro ponto importante é que muitas pessoas pelo facto de lhe terem emprestado dinheiro pensam ter o direito de dar conselhos e opinar sobre a forma de gerir o seu negocio. Nestes casos tem de ter mão firme para controlar estas situações.

Como gerir esta situação?

Há forma de continuar a contar com a ajuda dos FFF e evitar (na medida do possível) estes inconvenientes.

Em primeiro lugar, há que advertir claramente as pessoas para os riscos de investir no seu projecto quando lhes for pedir ajuda. Muitas empresas acabam (infelizmente) por fechar portas algum tempo depois de iniciarem a sua actividade, pelo que todos têm de estar conscientes desta situação.

Também deve evitar pedir mais do que realmente precisa. A família e os amigos podem ser muito generosos, mas tenha cuidado com a cobiça: não aceite dinheiro que um FFF possa vir a precisar mais tarde.

Faça um acordo por escrito de forma que todos saibam quais são as regras do jogo e o que podem esperar do seu investimento. Este é um acordo privado e os pontos são variáveis, mas numa segunda ronda, os investidores podem-se assustar se verificarem que existe uma série de sócios com os quais poderá vir a ser difícil chegar a acordo.

Conte a estes FFF como é que o dinheiro que lhe emprestaram está a contribuir para colocar em marcha uma nova empresa. E se conseguir ter sucesso na sua empresa, deve não só partilhar os benefícios como também reconhecer que parte do seu êxito foi conseguido graças a eles e ao seu apoio.

Deixe o seu comentário

SUBSCREVER GRÁTIS

Subscreva a nossa lista de email e receba novos artigos e actualizações comodamente na sua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...