Partilhar boleias de moto para poupar

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

pouparAs motos e especialmente as scooters são veículos muito práticos para circular nas cidades. Nos últimos anos temos vindo a ver um aumento do número de motos em circulação nas principais cidades do país, o que demonstra que têm muitas vantagens como por exemplo o baixo consumo, contaminam menos, têm um preço mais acessível e são fáceis de estacionar em qualquer lado. Por outro lado, a sua manutenção é menor comparativamente aos carros.

Desde há algum tempo que partilhar boleias se tornou algo habitual entre utilizadores que se deslocam para locais próximos e que têm horários parecidos. A partilha de boleias popularizou-se muito entre utilizadores de carros, mas há também cada vez mais pessoas a fazer isso e que se deslocam em veículos de duas rodas. Numa mota cabem duas pessoas, o condutor e o passageiro, havendo também menos custos a dividir em relação a um carro, principalmente no caso de uma scooter de menor cilindrada, a qual é por norma mais económica.

Por exemplo, se onde mora conhece alguém que trabalha próximo do seu local de trabalho e ambos vão trabalhar à mesma hora, o mais eficiente e inteligente é partilhar a boleia. Uma das vantagens de circular de moto é que assim é possível evitar mais facilmente os engarrafamentos das grandes cidades. Claro que o objectivo é partilhar os custos com a gasolina e assim poupar dinheiro. Outra hipótese é cada um levar a sua mota em semanas alternadas.

Tenha em conta que quando conduz sozinho é responsável por si mesmo, mas quando leva alguém à boleia é também responsável pela vida dele, uma vez que ele nada pode fazer em relação à sua forma de conduzir. É preciso ter muito cuidado quando circulamos de mota pois a segurança depende muito do respeito pelas regras de circulação. Não circule com demasiada velocidade e use sempre protecções nas mãos, joelhos, cotovelos e claro, use sempre capacete.

Também não se esqueça de que é necessário ter um seguro, que neste caso são mais baratos, especialmente os relativos a motos de baixa potência ou cilindrada.

Deixe o seu comentário