O que é o limite de endividamento?

endividamento

Tomar a decisão de pedir um crédito é uma questão muito importante, mas ainda mais importante é determinar qual é o nosso limite de endividamento ou capacidade de endividamento.

Limite de endividamento significa medir qual a capacidade que se tem para fazer pagamentos, permitindo conhecer qual é o limite de endividamento em que podemos incorrer.

Dito de outra forma o limite de endividamento é a capacidade que temos para nos endividarmos sem cair em incumprimento, onde a ideia principal é que se possa ter o encargo de pagamento de uma divida sem que tal prejudique o seu orçamento familiar e capacidade de pagamento.

A lógica será que uma pessoa não possa fazer um empréstimo e comprometer-se a pagar uma prestação maior do que as suas possibilidades.

Em geral, a maioria das entidades financeiras recomenda que não nos devemos endividar numa percentagem superior a 35% dos nossos rendimentos mensais. Com este valor em vista é que é calculada a capacidade máxima para se poder fazer um empréstimo.

Para fazer o cálculo da sua capacidade de endividamento, é necessário ter em conta os rendimentos e gastos fixos que suporta mensalmente.

Desta forma podemos utilizar a seguinte fórmula matemática para calcular o nosso limite de endividamento:

 

C.E. = (R.M. – G.F.) x 0.35

 

Onde:

C.E.: capacidade de endividamento

R.M.: Rendimentos mensais totais: a soma de todos os rendimentos

G.F.: Gastos Fixos mensais: é preciso contar com todos os pagamentos, pagamentos de cartões de crédito, rendas ou prestações de outros empréstimos.

 

Traduzindo esta equação, podemos dizer que a capacidade de endividamento é igual aos rendimentos mensais totais menos os gastos fixos mensais, o que dá como resultado o nosso rendimento líquido mensal. A este resultado é aplicada uma percentagem não maior do que 35%, o que dá como resultado final o total de rendimentos líquidos mensais que poderemos destinar ao pagamento de uma prestação mensal referente ao crédito solicitado.

Não se esqueça de incluir nestas contas todos os valores referentes ao seu agregado familiar, para que este cálculo seja efectivamente real.

É importante não esquecer que quando se toma o encargo de pagar uma prestação, a mesma terá e deverá ser cumprida todos os meses, durante todo o período em que ele decorrer, pelo que é aconselhável, antes de assumir esse encargo, que se façam as contas, somando todos os gastos fixos mensais e verificar se o dinheiro que sobra é suficiente para pagar a prestação, sem que tal nos prejudique no nosso orçamento mensal.

Deixe-nos o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *