Como investir em câmbios ou forex

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

investir em câmbiosInvestir em câmbios, também conhecido por muitos como forex é um dos mercados mais activos e importantes actualmente. E não é para menos, tendo em conta que os países trocam activos todos os dias e isso cria um mercado gigante. Todos podem especular com o câmbio ou então investir através da compra de acções de outros países que têm cotações em diferentes moedas. Por exemplo, se investir em acções do Facebook, uma empresa cotada na bolsa americana, o seu investimento irá crescer ou diminuir também em função da variação do dólar em relação ao euro.

Há bastantes meses que o euro chegou aos seus máximos históricos, superando os 1,40 dólares por euro. Desde então que muita coisa mudou. A Europa continua parada e o seu crescimento económico é fraco. Por outro lado os Estados Unidos continuam a crescer devido às novas políticas expansivas defendidas pelo novo presidente norte-americano.

Tudo isso tem implicações, especialmente na divisa e nos movimentos de câmbio, complexos e imprevisíveis. Mas há também outras mais claras, como a remuneração que os bancos oferecem para os depósitos e contas de poupança.

Enquanto que em Portugal há poucos depósitos a 12 meses a superar os 0,2% de rentabilidade, nos Estados Unidos há já muitos a alcançar 1%. Isso está a levar alguns bancos a voltar a apresentar aos clientes uns produtos que estavam um pouco “esquecidos”, os depósitos em moeda estrangeira, mais concretamente os depósitos em dólares (também há em muitas outras moedas).

A abertura de conta é simples. Quando é feito o depósito é realizada a conversão de euros em dólares, recebe-se o valor contratado (mais alta do que em euros). O problema está no momento em que pretendemos recuperar o nosso dinheiro em euros, ou seja, quando queremos trocar os dólares. Ao fazê-lo com o tipo de câmbio vigente nesse momento pode ganhar ou perder muito dinheiro, sendo precisamente isso que transforma este tipo de produto num investimento de risco e nunca num substituto de um depósito tradicional, por muito que seja previsível uma subida do dólar nos próximos meses.

O próprio Banco de Portugal refere no Relatório de Acompanhamento dos Mercados Bancários de Retalho que “Estes depósitos têm risco cambial, pois a taxa de câmbio pode variar entre a data de constituição do depósito e a data de vencimento. O montante depositado está garantido na moeda estrangeira, mas se esta depreciar face ao euro, o cliente pode registar uma perda caso pretenda converter esse montante em euros”.

É importante ter em conta que estes produtos não são para todos os perfis de investidores porque apresentam maiores riscos. Pode-se ganhar muito dinheiro quando acertamos a tendência da moeda, mas ao mesmo tempo podemos também perder se acontecer o contrário da nossa previsão. Actualmente quase todos os especialistas têm confiança numa subida do dólar em consequência das diferenças nas políticas monetárias. Os Estados Unidos deverão continuar a subir as taxas de juro, enquanto a Europa deverá mantê-las nos 0% e irão continuar os programas de compra massiva de divida pública. Mas as coisas também podem mudar em qualquer momento, especialmente se a Europa conseguir recuperar o caminho do crescimento.

Deixe o seu comentário

SUBSCREVER GRÁTIS

Subscreva a nossa lista de email e receba novos artigos e actualizações comodamente na sua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...