Em caso de emergência, qual o botão a carregar?

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

plano de emergência

Desde que a crise se instalou no nosso país que a maioria de nós tem vindo a passar por dificuldades financeiras, muitas vezes decorrentes da falta de emprego ou da perda de rendimentos. No entanto, melhor ou pior, todos temos vindo a enfrentar os problemas da forma que podemos, apesar das dificuldades.

No entanto, se a crise se instalar em força na SUA casa, sabe qual é o botão de emergência que deve acionar? Sabe quais são os gastos onde pode cortar? Quais as medidas que irá aplicar até passar a tormenta?

Julgo que muitos dos problemas que enfrentamos numa crise poderiam ser evitados pois já seriam de esperar que ocorressem. Há um efeito de surpresa e uma necessidade urgente de fazer mudanças importantes e demasiado rápidas na vida, que já poderiam ter sido antecipadas, de forma a evitar choques e problemas ainda maiores. No entanto, e para evitar dissabores futuros, antes de poder vir a ter problemas maiores com a crise, já sabe onde poderá cortar gastos e fazer ajustes na sua vida? O que irá fazer para enfrentar a crise?

Penso que o resultado deverá ser algo deste género:

Uma melhor atitude perante as mudanças que é necessário fazer.

 

Indice

Aqui o meu plano de emergência será:

Cortar gastos. Mas quais?

  • A televisão por cabo é dispensável! São perto de 100 euros por mês para ver televisão algumas horas por mês. É demasiado dinheiro para o bolso de qualquer um (e não esqueçamos que temos das telecomunicações mais caras da Europa).
  • O ginásio. Por mais que goste das instalações, verdade seja dita, posso correr em qualquer lugar. Tenho o equipamento, os ténis para correr e uma bicicleta para andar. Não é indispensável ir ao ginásio, ter um personal trainer, aproveitar as cómodas instalações ou o spa.
  • As idas frequentes ao cinema. Quem não gosta de ver um cinema? Mas por outro lado é das despesas que mais facilmente podemos cortar.
  • Idas ao barbeiro ou cabeleireiro mais espaçadas, e onde façam melhores preços.
  • As clássicas idas aos restaurantes que podiam ser evitadas. Comer fora é bom, mas é algo que se pode evitar sem grandes dramas.
  • Comprar roupa. É perfeitamente possível viver com a roupa que já tenho, sem necessidade de comprar quase nada (a menos que engorde ou perca muito peso).

 

Já dá para ter uma ideia. Olhando friamente para a situação: possivelmente até haverá coisas de que será bom desfazer-nos delas.

O mesmo se aplica em relação ao trabalho e à criação de rendimento. Não nos esqueçamos que poupar sem procurar uma forma de aumentar os rendimentos não nos leva muito longe.

 

Plano de emergência em caso de desemprego:

  • Fazer networking. O networking é uma prática útil durante a vida laboral, mas também pode ser aplicada durante um período de desemprego. Esta é a altura para voltar a entrar em contacto com antigos professores, empregadores e colegas, e fazê-los saber da sua situação atual e o tipo de emprego que procura. Saiba como tornar-se um expert em networking.
  • Continuar a aprender. Aproveite o facto de ter mais tempo para melhorar as suas qualificações. Já seja por conta própria ou através de cursos, descubra como pode melhorar o seu conhecimento e competências na área em que quer trabalhar.
  • Trabalhar por conta própria. Aproveite parte do seu tempo e ganhe algum dinheiro a oferecer os seus serviços, já seja na sua área ou numa área mais geral. Pode não ser o emprego que está à procura, mas pelo menos desta maneira continua a ser produtivo e as suas finanças pessoais não ficam tão prejudicadas. Consulte as nossas dicas sobre trabalhar por conta própria.
  • Fazer trabalho voluntário. Oferecer os seus serviços de forma voluntária também pode ser uma maneira de manter o seu CV atualizado e de aumentar as probabilidades de ser empregado posteriormente. Procure uma empresa onde gostaria de trabalhar e faça uma proposta para colaborar com eles.
  • Investir numa boa presença online. Atualize o seu perfil do LinkedIn, crie um portefólio online ou até um blog. Perceba qual é a presença nestes meios das empresas em que gostaria de trabalhar e tente interagir com elas nas redes sociais. Para além de obter informação importante sobre a área e as empresas, pode ganhar um lugar relevante nestes meios.

 

Acho que se tivermos um plano de emergência tendo sempre em conta o pior dos cenários mas esperando que tudo corra pelo melhor, estaremos preparados para o que quer que seja. Comece já a planear o seu plano de emergência. Não seja apanhado desprevenido.

Deixe o seu comentário